Obrigações Relativas ao Processamento de Faturas

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Foi publicado no dia 15 de fevereiro o decreto-lei 28/2019, que introduz novas obrigações relativas ao processamento de faturas, a aplicar em 2019.

Este é o decreto lei que que contém toda a regulamentação sobre o processamento de faturas e outros documentos fiscalmente relevantes, bem como conservação dos elementos de contabilidade nas empresas.

Destaca-se também o facto deste decreto-lei promover a emissão de faturas sem papel e a utilização de sistemas de arquivo eletrónico de documentos relativos a:

  • imposto sobre o valor acrescentado (IVA);
  • imposto sobre o rendimento de pessoas coletivas (IRC);
  • imposto sobre o rendimento das pessoas singulares (IRS).

Quais as principais mudanças?

Desde que o consumidor aceite, as faturas podem ser emitidas apenas em formato digital, sendo disponibilizadas no portal das Finanças e enviadas pelo vendedor por meio eletrónico.

Os sistemas de arquivo documental das empresas podem também passar a ser totalmente eletrónicos, mesmo para documentos processados em papel. Neste caso poderão ser digitalizados e arquivados em formato eletrónico.

As mudanças não ficam por aqui, a partir de 2020, as faturas irão passar a incluir um código único de documento e um código de barras bidirecional (Código QR), para reforçar o combate à fraude e evasão fiscal. O mesmo irá permitir a comunicação de faturas de despesas por parte dos contribuintes para efeitos de IRS, mesmo que estas não contenham o número fiscal.

Os documentos processados por meio eletrónico que são apresentados ao consumidor devem conter:

  • número sequencial do documento;
  • data e hora de emissão;
  • Nome da empresa e número de identificação fiscal do fornecedor dos bens ou serviços prestados.

Pontos em destaque dos artigos 34º e 35º?

1. Todas as empresas devem comunicar à AT no portal das finanças, a identificação e morada de todos os estabelecimentos, equipamento utilizado, número do programa certificado e identificação do distribuidor;

2. Sempre que se verificarem alterações nestes elementos, devem entregar nova comunicação antes da emissão das faturas;

3. Deve ser comunicada pela mesma via, á AT, antes da sua utilização, identificação dos números de séries utilizadas nas faturas;

4. A comunicação dos elementos atuais deve ser cumprida até 30 de junho de 2019.

 

Tem dúvidas ou questões sobre este ou outros temas relacionados com o PHC?